01 outubro, 2010

Retrato: montanha/escada/vida/carreira

TOPO

Ninguém vai me parabenizar?
Cheguei até aqui! [silêncio]

Pronto. Daqui vejo melhor.
E faço direito [as coisas erradas].

Acho que ainda dá pra eu
pisar mais um degrau [humano].

Que cheiro bom
de vitória [sangue].

Como pôde fazer isso? Não permitirei
que me ultrapasse [sou egoísta].
Ninguém vai me ajudar? Ainda estou aqui [sozinho]!

RUÍNA

6 comentários:

  1. Adoro esse seu estilo Adri >.<
    Uma das poucas pessoas que conseguem explicar sem ideias totalmente explícitas [ou não] .
    Saudades, :*

    ResponderExcluir
  2. Olá Drês! Estou feliz por voltar a escrever!!! Pena que desceu do Topo a Ruína... Vou tentar escrever algo pra te alegrar... Se conseguir te aviso...

    Abraços

    Wilson Marx

    ResponderExcluir
  3. Caro Marx,
    confesso que estou surpresa por sua conclusão a respeito da postagem. Fico satisfeita por expressar opinião, mas de antemão quero explicar que não estou expressando minha pessoa através do poema.. é uma simples forma de retratar algo (a definição desse 'algo' varia de pessoa a pessoa, portanto, não pronunciarei).

    ResponderExcluir
  4. Escreva mais... Alimente seu talento... Não se inspire, transpire... espero com expectativa...

    ResponderExcluir
  5. Adorei a síntese nesse poema!

    ResponderExcluir
  6. Obrigada pela visita ao blog.
    Sim, foi no Skoob mesmo que vi o endereço dele.
    Você escreve muito bem!

    ResponderExcluir